NS

NS

24 de jul de 2013

LXXVII Aniversário da morte de Onésimo Redondo


"O parlamento é a agonia da Pátria e os
partidos políticos o cancro do povo como o foram sempre."

A 23 de Julho de 1936, depois de ter desfrutado da deliciosa liberdade democrática da II República na prisão de Ávila, Onésimo Redondo, teórico do Nacional-Sindicalismo, líder dos agricultores castelhanos, verdadeira alma de Castela, co-fundador da Falange, amigo pessoal de José António, perecia heróicamente quando se dirigia para participar nos combates do Alto dos Leões, vítima das balas anarquistas da CNT.
Verdadeiro ideólogo do nacionalismo revolucionário, anti-capitalista e anti-marxista, legou-nos uma profusa obra política que ainda hoje impressiona pela sua actualidade.

Onésimo Redondo
Presente!